Diferenças? Quais????

Diferenças? Quais????
Diversidade. igualdade, respeito as diferenças, raças, etnias, culturas... "Brasil Um país de Todos!"... O que são estas palavras ou expressões além de símbolos? Símbolos, representações que nos guiam, nos moldam e ditam formas de condutas. E nós, o que fazemos dos símbolos? Ou os aceitamos inopinadamente ou os contestamos traçando novas vivências e refletindo novas representações.

sábado, fevereiro 05, 2011

A família e o portador de Necessidades Especiais

      Estou postando aqui hoje em parceria com alguns blogs a convite do Blog "Uma pandora em sua caixa" (http://elfpandora.blogspot.com/), que hoje farão uma blogagem coletiva, para tratar deste tema tão importante, muito discutido e que faz parte do cotidiano de quase todos brasileiros.


     A postagem que decidi fazer é sobre um texto disponibilizado pelo MEC que estudei período passado na disciplina "Educação Inclusiva" e o  filme "Adorável Professor".
     Temos conhecimento que o portador de necessidades especiais, leva uma vida diária de lutas, desafios, conquistas, precisa de adaptações e cuidados especiais. E a família é a peça fundamental nesse enredo. 
     A família tem uma mudança instantânea no seu cotidiano e precisa de atenção e preparo as vezes exterior para conseguir ser a base para este novo integrante da família, que requer uma atenção toda especial. No texto "A família" disponível na página do MEC e no filme "Adorável Professor" fala do apoio as famílias e os dramas iniciais até a aceitação.


Família, Google
 imagens.


A FAMÍLIA

Nos dias atuais as famílias se constituem por diversas razões. Mas todas possuem um fator em comum, basicamente todas as famílias sonham com filhos saudáveis, lindos e perfeitos segundo um conceito que temos de normalidade em nossa sociedade contemporânea.
Baseando-se no texto “A família (Educação Inclusiva, Brasília, 2004)”, e no filme “Adorável professor” nota-se claramente uma família que sonha com um filho perfeito, saudável e que quando descobre que esta criança não é fisicamente perfeita passa por um momento de crise, de não aceitação, de choque, de decepção. De acordo com o texto, “(...) é comum ver as famílias se movimentando, em busca de atendimento ou mesmo freqüentando serviços diferentes, sem ter noção do que é que estão fazendo...” (Educação inclusiva, p.7. 2004), esses pais estão perdidos entre aceitar que têm um filho que necessita de sua atenção em especial e qual a atenção que precisam estar preparados a ofertar a esta criança. Tentando resolver estes dilemas as famílias começam a busca por profissionais diversos que os auxiliem a cuidar melhor e da maneira correta de suas crianças. No filme observa-se uma cena muito próxima a realidade quando a mãe começa a buscar de todas as formas e em todos os meios a melhor forma de atender as necessidades de seu filho. O texto nos afirma isso também quando coloca: “Faz-se necessário que a família construa conhecimentos sobre as necessidades especiais de seus filhos, bem como desenvolva competências de gerenciamento do conjunto dessas necessidades e potencialidades.” (Educação Inclusiva, p.7. 2004).
Não é difícil concluir que uma criança com alguma deficiência seja ela física ou mental traz além de uma mudança de vida para suas famílias também gera um grande movimento na área emocional, como nos afirma o texto, “(...) uma deficiência no bebê vem, além do conjunto de tarefas próprias desse período, acrescenta grande peso emocional á mãe e aos familiares” (Educação Inclusiva, p.11. 2004).  È uma nova fase que a família enfrenta e que precisa contar com o apoio de todos os integrantes da família, “tudo isso pode ser administrado e reverto em desenvolvimento famílias, se a mãe contar com o suporte do companheiro” (Educação Inclusiva, p.11. 2004).  No caso do filme “Adorável professor” observa-se nitidamente como foi difícil para a mãe administrar tudo sozinha, pois o pai preferiu se esconder atrás de seu trabalho, dos problemas das outras crianças a aceitar que precisava refazer seus planos, e suas ações para dá uma melhor assistência a seu filho e sua família no todo. A mãe por sua vez foi obrigada a tomar todas as iniciativas para garantir que o desenvolvimento físico e cognitivo de seu filho fosse garantido e alcançado.
Por fim, tanto no texto quanto no filme observei o quão é importante a participação de todos os integrantes da família no acolhimento e desenvolvimento das competências e habilidades das crianças com algum problema físico ou mental. Notei também que é imprescindível e essencial que todos da família participem desta mudança porque quando fica apenas um membro da família com toda a responsabilidade (como vimos este membro sempre é a mãe), isto pode trazer grandes problemas para a família, pois gera uma grande sobrecarga para uma só pessoa o que pode com o tempo trazer cobranças, acusações e até uma possível desintegração da família.

Referências
Texto Educação Inclusiva, a família, Brasília, 2004.
Filme “Adorável Professor”.
Neste portal você encontra programas e ações do MEC para a Educação Especial.




Filme "Adorável Professor"
Cenas do filme, "Adorável Professor".
Filme imperdível ´para todos.

























4 comentários:

  1. Amiga, obrigada por embarcar nessa idéia, também amo esse filme \o/ Ótima a reflexão que vc faz!!!

    É verdade que muitas vezes o pai se ausenta e a mãe fica sozinha tendo que administrar frustações, medos e desconhecimento, o desafio que é educar uma criança que tem uma serie de necessidades diferentes da maioria... Mas desafios existem para serem vencidos e não há nada que não possa ser superado com amor e vontade...

    Cheros, te doru muito amiga!!! Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  2. muito bom esse texto (também participo da blogagem coletiva, peço licença para entrar aqui no seu blog).
    realmente a família é um grande e forte ponto de apoio, minimiza problemas, dá mais segurança ao pne.
    Este filme é maravilhoso!
    bom domingo

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Alexandre pela visita, fique a vontade, sua opinião é muito importante.

    ResponderExcluir
  4. Amiga foi um prazer embarcar nesta idéia com vc...
    Ja sabe quanto lhe amo né???
    Bjs...

    ResponderExcluir